PT EN FR

Thinqs
Magazine

Iluminação orgânica e futurista

14/10/2009

A experiência da equipa de decoradores da QuartoSala é testemunha da importância decisiva da iluminação num projecto de decoração e design de interiores.

E nesta matéria são cada vez maiores os níveis de exigência a que responde o mercado, em especial na vertente da iluminação doméstica, que se está a tornar cada vez mais técnica. Esta evolução obriga-nos a nós, decoradores profissionais habituados a desenhar projectos de decoração, a estar sempre um passo à frente, antecipando o avanço do sector.

Uma dessas tendências da iluminação aponta como caminho o apuramento das formas, que se desenham crescentemente mais orgânicas e futuristas, no sentido em que revelam a essência dos materiais, e projectam ambientes de quase ficção científica. Um dos factores que contribui para esse caminho é o avanço da tecnologia led/RGB que permite aos criadores apostar na versatilidade das formas e das cores, e num design arrojado e inovador, de baixo consumo, mas sobretudo de grande versatilidade.

São também estes atributos vanguardistas que servem para descrever uma das últimas propostas de iluminação da conhecida arquitecta iraquiana Zaha Hadid, que em 2007 surpreendeu os visitantes do Salão de iluminação ‘Euroluce’, em Milão, com uma instalação em torno do seu modelo de candeeiro de suspensão VorteXX.

O design extravagante deste modelo escultórico, com estatuto de peça de arte, editado pela alemã Zumtobel já tinha ganho, no final de 2006, o prémio de design europeu ”Light of the future”. Com isso conquistou o direito a estar exposto no Museu Guggenheim de Nova Iorque, com a legenda de ‘obra-prima da iluminação’. Os visitantes puderam ver de perto as linhas sinuosas do VorteXX e apreciar a sua mutação de cores, entre o azul, o vermelho ou o amarelo. Cada cenário cria à sua volta um efeito tridimensional único.

Não será por acaso que o VorteXX, com edição limitada a 25 unidades, conseguiu em Maio de 2007, num leilão em Viena, arrecadar a fantástica licitação de 139 mil euros.

O valor monetário atingido neste leilão é algo premonitor do caminho ascendente que a iluminação orgânica está a trilhar na esfera do design e da iluminação de interiores, abrindo espaço para o nascimento de outras peças tão surpreendentes quanto dignas de registo, como é o caso da “lacrime del pescatore”, o mais recente modelo de iluminação led de Ingo Maurer. Estes dois exemplos que escolhemos servem de referência a outras marcas, como a Vibia ou a Penta, que apostam na edição de modelos seguidores desta tendência e que provam que a iluminação orgânica está a ganhar um espaço sem precedentes.