QuartoSala: A intervenção na cadeira Louis Ghost, step by step

Cadeira QuartoSala, Kartell

Os designers de interiores da QuartoSala recriaram uma das mais célebres cadeiras da Kartell.

Eis a história do processo criativo, por detrás desta intervenção, desde a ideia concetual ao resultado final de que tanto nos orgulhamos:

 1-O convite

Para a abertura da primeira loja da kartell em Lisboa, a Dimensão convidou a QuartoSala a selecionar, e intervir, no design de uma peça pertencence ao extenso catálogo da marca italiana, e a relacioná-la com a cidade de Lisboa.

2- A escolha

A nossa seleção recaiu sobre a versão transparente da cadeira ‘Louis Ghost’ desenhada por Philippe Starck em 2002. A ‘Louis Ghost’ é uma cadeira barroca, ao estilo Luís XV revisitada em policarbonato injetado.

3-O conceito

O nosso primeiro ‘brainstorming’ levou-nos até ao universo da música. Pedro d’Orey, um dos designers de interiores da QuartoSala, propôs baseado no título da música “Life during war time” dos Talkings heads que se construísse uma cadeira com gadgets de comunicação, aludindo à imagem de uma cadeira alegadamente sobrevivente a um período de guerra. Mas rapidamente o nosso arquitecto, Rui Viegas, recentrou o projeto no tema da exposição, que nos obrigava a pensar em Lisboa, e chegámos à conclusão que seria disruptivo inserir o tema da guerra neste contexto.

A partir daqui, a nossa equipa criativa começou a pensar em ícones da cidade de Lisboa. Acabámos por concordar que a calçada portuguesa poderia ser um deles, dado que é uma das imagens incontornáveis da nossa capital.

Diz-nos a história que ela nasceu em Lisboa em 1842. Foi imortalizada em breves passagens de romances de Garrett ou Cesário Verde. O nosso olhar nem sempre se detêm sobre ela, mas a calçada acompanha-nos por passeios e ruas, com desenhos e padrões.

O Rui Viegas partiu então para o terreno, procurando com a objetiva da máquina fotográfica, a melhor imagem da calçada. Fotografar Lisboa é sinónimo da presença da calçada em muitas das imagens que captamos. A partir desse olhar, surge o conceito de transportar esse ícone romântico da capital para uma cadeira, através da impressão de um vinil com a imagem da calçada.

 4-O objecto

A cadeira em policarbonato injetado transparente recebeu então uma película de vinil, também ela transparente, impressa com a fotografia da calçada.

Estava assim concretizado o nosso objetivo de criar uma peça de mobiliário, transparente que se integraria em vários ambientes, fundindo-se com o cenário envolvente, sem deixar de ‘marcar o lugar’ com a sua personalidade.